O Brasil que não é bem assim

Autores

Maria Carolina Silva Rocha Vieira

Subtítulo

representações do Brasil na cobertura da Copa do Mundo 2014 pelo jornal The Guardian

Título original / alternativo

The Brazil that is not really like this: Brazil’s representations at The Guardian news coverage during the 2014 Soccer World Cup

Orientador

Maximiliano Martin Vicente

Banca

Murilo Cesar Soares, Cristina González Oñate

Faculdade / Instituição

Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Universidade Estadual Paulista

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Comunicação

Ano

2016

Páginas

130

Cidade

Bauru

Resumo (pt)

O Brasil, como terra colonizada por europeus, teve desde o seu nascimento não só sua imagem, mas seu próprio senso de identidade influenciado e construído por relatos estrangeiros, começando pelos de colonizadores, passando por escritos de viajantes e chegando aos dias de hoje com todas as configurações do jornalismo internacional. A Copa do Mundo, por sua vez, além de se conectar ao Brasil pela relação histórica do país com o futebol, devido às suas características de megaevento midiático tem a potencialidade (e a intenção) de deixar como legado determinadas projeções nas representações de sua nação-sede. Tomando como cenário de atuação o jornalismo internacional em um contexto globalizado e como base os Estudos Culturais Britânicos – que entendem a cultura como meio de vida e campo de embate no qual construções e representações são formadas/modificadas – esta dissertação propõe o estudo das representações do Brasil durante a Copa do Mundo 2014 pelo The Guardian, jornal inglês de prestígio mundial e de grande tradição na cobertura internacional. Utilizando autores como Stuart Hall, Raymond Williams, John B. Thompson e Douglas Kellner para suporte teórico e a Análise de Conteúdo de Laurence Bardin para suporte metodológico, o objetivo é verificar quais as representações do Brasil e dos temas brasileiros que têm mais destaque na mídia internacional (sendo estes 1-aspectos culturais; 2-aspectos políticos; 3-aspectos sociais; 4-impressões sobre a Copa e 5-relação do Brasil e brasileiros com o futebol) em um momento em que os holofotes globais estão voltados para ele, além de confirmar se existe alguma inter-relação entre a visão do jornal sobre a edição 2014 da Copa do Mundo e a imagem que o veículo faz do país. Os resultados mostram que, apesar do uso de repórteres e correspondentes in loco (muitos fugindo propositalmente do foco esportivo) e da abundância de fontes locais de informação, o Brasil se destaca por seus problemas sociais e ainda é um país incompreendido pela sua complexidade política, cultural, econômica e social, levantando, assim, temas binários recorrentes, por exemplo, a desigualdade entre ricos e pobres, a paixão pelo futebol x a insatisfação com a organização da Copa, contrastes entre regiões, ambivalência entre a população calorosa hospitaleira contra torcedores violentos e polícia repressiva, entre outros, reafirmando a diversidade de representações às quais o país é passível. Constatou-se também que a equivalência entre a imagem da Copa do Mundo 2014 e a do Brasil veiculadas no jornal existe, já que características encontradas na representação da primeira condizem com o que se fala sobre o país e seus temas mais destacados. Os dados finais também expõem o potencial do megaevento esportivo de tanto proporcionar novas leituras sobre o país-sede quanto ofuscá-las devido ao envolvimento da mídia com a festa mundial do futebol.

Abstract

As an European colonized land, Brazil has had since its birth not only its image, but also its own identity sense influenced and built by foreign narratives, starting with the colonizers, going through travelers and reaching today with all the forms of international journalism. Besides its connection to Brazil for the country’s historical relationship with soccer, the World Cup, in turn, because of the media mega-event features has the potential (and intention) to leave as legacy some projections on its host nation representations. Taking for action scenario the international journalism in a globalized context and as base the British Cultural Studies – that understand culture as way of life and a battlefield on which framing and representations are made/changed – this project intends to study the Brazil representations constructed during the 2014 World Cup by The Guardian, English newspaper of global prestige and with big tradition in international coverage. Using authors such as Stuart Hall, Raymond Williams, John B. Thompson and Douglas Kellner for theoretical support and Laurence Bardin’s Content Analysis for methodological support, the purpose is verify what are the representations of Brazil and of the most highlighted Brazilian themes in international media (being them 1-cultural aspects, 2-political aspects, 3-social aspects, 4-impressions about the Cup and 5-relation between Brazil and Brazilians with soccer) while global spotlights are turn to the country, besides to confirm if there is any correlation between the newspaper view about the 2014 edition of the World Cup and the Brazil image sold by it. The results shows that, even with the use of in locus reporters and correspondents (many distancing themselves intentionally of the sports focus) and the abundance of local information sources, Brazil gets attention for its social problems and is still an uncomprehend country for its political, cultural, economic and social complexity, raising recurrent binary themes. For example: inequality between rich and poor, passion for soccer x dissatisfaction with the World Cup organization, differences among the country’s regions, ambivalence between the warm and welcome population against the violent crowd and repressive police, among others, reassuring its diversity of representations. It is also found that there is an equivalency between the World Cup 2014 image and Brazil’s conveyed on the newspaper, by the means the observed features on the representation of the tournament match with what was written about the country and its most highlighted aspects. The final data also exposes the potential of the megaevent in both afford new lectures about its host nation or overshadow them because of the media participation at the worldwide soccer feast.

Sumário

INTRODUÇÃO, 2

1. Percurso da pesquisa e formulação do problema, 2

2. Inserção no campo, 13

3. Estrutura da dissertação: apresentação dos capítulos e hipóteses, 15

CAPÍTULO I – AS REGRAS DO JOGO, 19
Sessão 1. Cena 1: O documento de garantias governamentais à FIFA, 19
Sessão 1.1 As garantias tornam-se norma, a exceção torna-se regra, 28
Sessão 1.2 A Lei Geral da Copa, 36
Sessão 2. Tempo da urgência, tempo do mercado, 63
Sessão 2.1 A “Família FIFA”, 63
Sessão 2.2 Megaeventos na virada dos tempos, 69
Sessão 2.3 Notas e ferramentas para a investigação de um problema político, 73

CAPÍTULO II – FIFA FanFest: Territórios de Exceção, 82
Sessão 1. Cena 2: A FIFA FanFest no Vale do Anhangabaú, 82
Sessão 1.1 Um Vale dentro do Vale, 84
Sessão 1.2 Cadastramento de ambulantes: um acordo entre poderes desiguais, 86
Sessão 1.3 Exclusividade Comercial: o monopólio no espaço público, 94
Sessão 2. Urbanismo Militarizado: a mão armada do mercado, 100

CAPÍTULO III – COPA REBELDE: UMA EXPERIÊNCIA DE CRIAÇÃO DO COMUM?, 107
Sessão 1. Surgimento do Comitê Popular da Copa SP: breve história, 107
Sessão 2. Cena 3: Copa Rebelde dos Movimentos Sociais, a profanação do futebol, 135
Sessão 2.1 A escolha do campo, 135
Sessão 2.2 Os times e as regras: Copa 2014 como campo de gravitação, 137
Sessão 2.3 Copa Rebelde: a criação do comum urbano?, 151

CONSIDERAÇÕES FINAIS, 154
“Meditações” em torno da imaginação politica como suposto para um exercício fecundo do direito à cidade, 154

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 158

ANEXO – Lista de entrevistas, 164

Referência

VIEIRA, Maria Carolina Silva Rocha. O Brasil que não é bem assim: representações do Brasil na cobertura da Copa do Mundo 2014 pelo jornal The Guardian. 2016. 130 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2016.