O campo e o jogo

Autores

Pablo Eduardo da Rocha Souza

Subtítulo

uma história do Estádio Castelão (1963-1991)

Orientador

Raimundo Nonato Araújo da Rocha

Banca

Fábio Franzini, Raimundo Pereira de Alencar Arrais

Faculdade / Instituição

Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Historia

Ano

2012

Páginas

121

Cidade

Natal

Resumo (pt)

O trabalho tem por objetivo analisar o planejamento, a construção e os usos do estádio Presidente Castelo Branco (Castelão), inaugurado em Natal, capital do Rio Grande do Norte, em 1972. Utiliza como principais fontes documentais os jornais impressos A República, Tribuna do Norte e Diário de Natal; fotografias das décadas de 1960, 1970 e 1980 e, finalmente, uma entrevista com Moacyr Gomes da Costa, arquiteto responsável pela construção do Estádio Castelão. Procura entender as mudanças e permanências advindas com a construção desse estádio para história do futebol e da cidade. Articula, no corpo do texto, a inauguração do estádio com o processo de mercadorização e massificação do futebol norte-rio-grandense, que ocorreu a partir da década de 1970. Indica os lugares onde se praticava o futebol em Natal antes da construção de um estádio e analisa as necessidades históricas que conduziram à edificação de uma praça esportiva. Discute a transformação das partidas de futebol em espetáculos lucrativos, que passaram a envolver grandes interesses econômicos. Investiga como políticos potiguares se utilizaram dos estádios de futebol como mecanismo de legitimação e concretiza esse debate com as atuações de Djalma Maranhão e de Cortez Pereira, que em tempos diferentes utilizaram esse mecanismo. Pesquisa os elementos que favoreceram a popularização vivenciada pelo futebol potiguar a partir da década de 1970, o papel da imprensa esportiva nesse processo e o surgimento das torcidas organizadas.

Abstract

The study aims to examine the planning, the construction and uses of the stadium Presidente Castelo Branco (Castelão), opened in Natal, capital of Rio Grande do Norte, in 1972. Used as main sources of documents printed newspapers A República, Tribuna do Norte e Diário de Natal; photographs of the 1960s, 1970s and 1980s and, finally, an interview with Moacyr Gomes da Costa, architect responsible for building the stadium Castelão. Seeks to understand the changes and continuities stemming from the construction of this stadium for football history and the city. Articulated in the text the inauguration of the stadium with the process of commodification and massification of football norte-rio-grandense, that occurred from the 1970s. Indicates the places where they practiced football in Natal before the construction of a stadium and analyzes the historical needs that led to the construction of a sports square. Discusses the transformation of football matches in shows profit, which now involve large economic interests. Investigates how political potiguares made use of football stadiums as a mechanism of legitimation and realize this debate with the performances of Djalma Maranhão and the Cortez Pereira, that at different times using this mechanism. Search elements that favored the popularization experienced by football potiguar from the 1970s, the role of the sports press this process and the emergence organized supporters.

Sumário

Considerações iniciais

1- Futebol natalense: onde se joga, onde se assiste, 30
1.1- Os espaços do futebol em Natal: os descampados e o campo cercado, 31
1.2- O Castelão: espaço para venda de jogos, 38

2- O Castelão, o futebol e a política potiguar, 63
2.1- O Estádio Olímpico de Natal: um espaço que ficou nos planos, 63
2.2- O Castelão: espaço para jogos internacionais e nacionais, 68

3- O castelo abrigas as massas, 95
3.1- O Castelão: espaço para a imprensa, 95
3.2- O Castelão: espaço para as torcidas, 109

Considerações finais, 121

Referências bibliográficas, 125

Referência

SOUZA, Pablo Eduardo da Rocha. O campo e o jogo: uma história do Estádio Castelão (1963-1991). 2012. 121 f. Dissertação (Mestrado em Historia) - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.