O direito ao lazer na cidade e o futebol: A situação dos campos de várzea em Montes Claros/MG

Autores

Isabela V. Lopes Versiani, Geraldo Magela Durães

Periódico / Revista

Revista Norte Mineira de Educação Física

Cidade

Montes Claros

Volume

v. 6

Número

n. 7

Páginas

p. 2-18

Ano

2016

ISSN

2237-8170

Resumo (pt)

Dentre os diversos caminhos existentes para problematizar o direito ao lazer na cidade, refletir sobre os espaços públicos disponíveis para sua prática mostra-se essencial para pensar e efetivar sua vivência no cotidiano, o que nos aproxima de questões complexas e contraditórias que perpassam o planejamento urbano e suas configurações espaciais. Tanto nas grandes cidades como, mais recentemente, em cidades médias, são nítidas as rápidas transformações que ocorrem no solo urbano. Como consequência desse processo, destaca-se a situação dos campos de futebol de várzea como um dos equipamentos públicos de lazer nas cidades que mais tem sentido a presença hegemônica da lógica capitalista na produção do espaço em detrimento dos aparatos legais existentes para sua preservação. Diante desse quadro e entendendo que a vivência do futebol é uma das principais manifestações do lazer no cotidiano urbano, o presente trabalho teve como objetivo analisar algumas das contradições que cercam o universo dos campos de futebol de várzea em Montes Claros/MG, tendo como base para a discussão a sua distribuição por diferentes regiões da cidade. Através de pesquisa exploratória, com levantamento documental e produção de mapa temático com auxílio de ferramentas de geoprocessamento, constatou-se que a maioria dos campos encontra-se em áreas periféricas da cidade que ainda possuem vazios urbanos à espera de valorização, o que pode comprometer consideravelmente a vivência dessa prática em um futuro próximo, conforme evidenciado pelo aumento da extinção de campos em área particular localizados em novas frentes de expansão urbana. Além disso, evidencia-se que esses equipamentos têm sido influenciados diretamente por duas lógicas contrapostas de desapropriação/apropriação de seus espaços: se por um lado há um processo em curso de desativação de campos em área institucional em função de trocas efetuadas pelo Poder Público Municipal com loteamentos privados ou para atender à previsão originária da área de equipamento comunitário (praça, escola, creche, entre outros); por outro há a criação de novos campos pela população através da apropriação de novas áreas institucionais reservadas a equipamentos comunitários ainda não implantados ou de áreas particulares próximas aos novos conjuntos habitacionais alavancados pelo Programa Minha Casa Minha Vida na cidade. Tais constatações reafirmam a presença da lógica capitalista no espaço urbano e destacam o papel fundamental que o Pode Público Municipal deve exercer na garantia de existência e permanência desses campos.

Abstract

Among the various ways to question the right of leisure in the city, to reflect about the public spaces available for this practice shows it is essential to think and carry their experience in urban daily life, which brings us closer to complex and contradictory issues that pervade urban planning and their spatial configurations. In both large cities and, more recently, in medium-sized cities, it is clear the rapid changes occurring in urban land. As a result of this process, it stands out the situation of lowland soccer fields as a public leisure facilities in cities that have felt the most the presence of hegemonic capitalist logic in the production of space at the expense of existing legal apparatus for its preservation. Given this situation and understanding that the experience of amateur soccer is one of the main manifestations of leisure in urban daily life, this study aimed to analyze some of the contradictions that surround the world of amateur soccer fields in Montes Claros / MG, having as a main point for discussion their distribution among different areas of the city. Through exploratory research, with documental research and production of thematic map with the aid of geoprocessing tools, it was found that most of the fields are found in suburban areas of the city,which still have urban voids waiting for appreciation, which may compromise considerably the experience of this practice in the near future, as evidenced by the increase in the extinction of fields in private areas, located in new areas of urban sprawl. Moreover, it is evident that these devices have been directly influenced by two opposing logics of dispossession / appropriation of their spaces: on one hand there is an ongoing process of field deactivation in institutional area due to changes made by the Municipal Government with private housing developments or to meet the original forecast of community services area (squares, school, day care, etc.); on the other there is the creation of new fields by the population through the adoption of new institutional areas reserved for community facilities not yet implemented or private areas close to new housing projects leveraged by the Minha Casa Minha Vida in town. These findings reaffirm the presence of capitalist logic in the urban space and highlight the key role that the Municipal Public Power should exercise in guaranteeing the existence and permanence of these fields.

Referência

VERSIANI, Isabela V. Lopes; DURãES, Geraldo Magela. O direito ao lazer na cidade e o futebol: A situação dos campos de várzea em Montes Claros/MG. Revista Norte Mineira de Educação Física. Montes Claros, v. 6, n. 7, p. 2-18, 2016.