O efeito de jogos sucessivos nos parâmetros de desempenho físico de jovens jogadores de futebol

Autores

Vinicius Miguel Zanetti

Orientador

Alexandre Moreira

Faculdade / Instituição

Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Ciências

Ano

2018

Páginas

49

Cidade

São Paulo

Resumo (pt)

O objetivo da presente dissertação foi verificar o efeito da participação de jovens jogadores de futebol em competições com calendário congestionado (CC) nas medidas de desempenho físico, e comparar as acelerações (ACC), as desacelerações (DEC), a potência metabólica média (PM), distância total percorrida (DT) e distância percorrida em alta velocidade (DAV) em 24 jogadores de futebol juvenil (sub-15, n = 11 e sub-17, n = 13) expostos a campeonatos de CC e períodos regulares de calendário não congestionados (calendário regular; CR); como critério de retenção dos dados dos jogadores, adotou-se, a participação mínima de 75% do tempo total de jogo em cada partida. Adicionalmente as medidas de desempenho físico foram normalizadas pelo tempo de participação em minutos na partida. Foram analisados 10 jogos internacionais no formato de CC (5 para cada categoria), realizados durante 3 dias sucessivos, incluindo 2 dias com 2 jogos consecutivos jogados com intervalo de 4-5 horas; para estabelecer uma condição “controle”, 10 jogos de CR, de cada categoria, foram analisados; os jogos de CR foram realizados com um intevalo de pelo menos 7 dias. Os jogadores usavam uma unidade GPS de 15 Hz com um acelerômetro triaxial de 100 Hz alocada em uma veste especial. Uma diferença classificada como digna de consideração (tamanho do efeito; TE> 0,20) entre CC e CR, foi observada para os parâmetros de desempenho físico ACC, DEC e PM, para sub-15 e sub-17, com valores mais elevados no CC. Enquanto que DT e DAV apresentaram valores superiores para CR, apenas para o sub-15. Contrariamente à hipótese levantada, os parâmetros de desempenho físico mostram que os jogadores juvenis de elite avaliados elevaram a intensidade do jogo quando participaram de torneio CC. Uma diminuição em ACC e DEC, do 1° tempo para o 2° tempo foi observada (sub-15 e sub-17) nos diferentes formatos de campeonato. No entanto, observou-se um aumento da PM do 1° tempo para o 2° tempo; com um aumento muito grande para ambas as categorias durante a CR; para o CC, a PM aumentou (1ª para a 2ª metade) para o sub-17, mas diminuiu para o sub-15. Os resultados do presente estudo, sugerem que os perfis de taxa de trabalho dos jogadores não são prejudicados no CC e que o desempenho físico aumentado nesse tipo de competição pode estar associado a uma estratégia de auto-regulação ou “pacing” da intensidade de realização das ações. Apesar das semelhanças para os dados de desempenho físico (sub-15 e sub-17), a PM para o sub-17 foi amplamente aumentada no CC (vs CR) em comparação com os valores de PM do sub-15; sugerindo assim, uma maior capacidade dos atletas, com um suposto nível mais elevado de treinamento (sub-17) em otimizar o desempenho físico neste tipo de competição. Estas informações podem servir como um meio alternativo e eficiente de representação do desempenho físico e auxiliar na organização de uma preparação específica de equipes participantes destes formatos de competições (CC); adicionalmente, os resultados indicam a importância de de considerar as medidas de ACC, DEC e PM na análise do desempenho físico de jovens jogadores, ao invés da utilização isolada de medidas relacionadas a DT e DAV.

Abstract

The aim of this study was to compare the physical performances in youth players during congested (CM) versus regular match (RM) schedules. The accelerations (ACC), decelerations (DEC), average metabolic power (MP), total distance covered (TD) and distance covered at high speed (HSD) were compared across congested match (CM; 10 international matches played over 3 successive days, including 2 days with 2 consecutive matches played with a 4-5 hr interval) and 10 regular non-congested match periods (RM), played with a 7-day interval between matches, in elite youth soccer players (U15, n=11; U17, n=13).; as criterion for retention of the players’ data, it was adopted, the minimum participation of 75% of the total match time of each game. In addition, all variables were normalized per min of on-field playing time. Each player wore a 15-Hz GPS unit coupled with a 100 Hz tri-axial accelerometer (SPI Elite, GPSports, Canberra, Australia A difference classified as worthy of consideration (effect size; ES > 0.20), between CM and RM, was observed for ACC, DEC and MP, for U15 and U17, with higher values in CM. While TD and HSD showed lower values for CM for u15. Contrary to the hypothesis, the relative values of the physical performance parameters were higher for CM. A decrease in ACC and DEC, from the 1st half to the 2nd half of the match was observed (U15 and U17) for both CM and RM. However, an increase in MP from the 1st half to the 2nd half of the match was observed; with a very large increase for both categories during the RM; during the CM, MP increased (1st half to the 2nd half) in the U7, but decreased in U15. The present findings suggest that the players work rate profiles are not impaired in CM and that the intensity of the match-play is increased in this type of competition, and might be associated to self-regulation or pacing strategy; despite the similarities for physical performance in U15 and U17), MP was largely increased in U17 during CM (vs CR) compared to U15; this result suggests that the higher the level of the conditioning, the greater the ability of the athlete in optimizing physical performance in this type of match schedule. This information can serve as an alternative and efficient means of representing physical performance and may help coaches to organize and monitor specific preparations of teams participating in these type of competitions (CM); additionally, the results indicate the importance of considering the ACC, DEC and MP measurements in the analysis of physical performance of young players, instead of using only measures related to total distance covered and distances covered at different speeds.

Sumário

1 INTRODUÇÃO, 12

2 OBJETIVO, 16
2.1 Objetivo geral, 16
2.2 Objetico especifico, 16
2.3 Hipotese, 16

3 REVISÃO DE LITERATURA, 17

4 MATERIAIS E MÉTODO, 26
4.1 Amostra, 26
4.2 Delineamento experimental, 27
4.3 Limitações do estudo, 30
4.4 Parâmetro de desempenho físico, 30
4.5 Análise maturacional, 31
4.6 Análise estatística, 32

5 RESULTADOS, 33 
5.1 Parâmetros de desempenho físico, 33

6 DISCUSSÃO, 38

7 CONCLUSÃO, 43

8 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 44

Referência

ZANETTI, Vinicius Miguel. O efeito de jogos sucessivos nos parâmetros de desempenho físico de jovens jogadores de futebol. 2018. 49 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.