O futebol na cidade de Belo Horizonte

Autores

Sarah Teixeira Soutto Mayor

Subtítulo

amadorismo e profissionalismo nas décadas de 1930 e 1940

Orientador

Silvio Ricardo da Silva

Banca

Bernardo Borges Buarque de Hollanda, Luciano Pereira da Silva, Luiz Carlos Rigo, Victor Andrade de Melo

Faculdade / Instituição

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Minas Gerais

Tipo

Tese

Área de concentração

Doutorado em Estudos do Lazer

Ano

2017

Páginas

358

Cidade

Belo Horizonte

Resumo (pt)

A presente investigação objetiva analisar a história do futebol em Belo Horizonte, Minas Gerais, entre as décadas de 1930 e 1940, mais precisamente a partir do ano de 1933, momento em que o profissionalismo foi adotado na cidade. Intenta-se verificar como a implantação desse novo regime impactou o cotidiano futebolístico da cidade, por meio da análise de um marco temporal ainda pouco abordado nos estudos históricos sobre o futebol na capital mineira. A década de 1940 recebeu especial protagonismo nesse estudo, a partir da abordagem de características peculiares àquele momento e à própria estrutura da cidade. Como método, foram pesquisados trinta e nove jornais e revistas que circularam no período, editados na cidade de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Buenos Aires (escolha que se balizou pelos próprios diálogos estabelecidos entre os três centros esportivos). Também foram consultados, em menor quantidade, arquivos pessoais e institucionais, além de relatos memorialísticos. A interpretação das fontes foi pautada pela construção de algumas categorias de análise: como “amadorismo e profissionalismo”; “modernidade, tradição, classe, cultura e civilização”; e a ideia de “campo esportivo e distinção”; todas elas atreladas à história da cidade de Belo Horizonte em sua relação com a prática esportiva. Em síntese, pôde-se constatar que o período pósprofissionalismo na capital mineira foi marcado por um cenário de intensos conflitos e mesclas envolvendo significações acerca do amadorismo e do profissionalismo que coexistiram em um plano discursivo que ora valorava a “modernidade”, ora valorava a “tradição”. Várias divisões de poder e de legitimidade conformaram campos esportivos distintivos, que após a implantação do profissionalismo, relegaram ao amadorismo um lugar periférico e desqualificado na hierarquia futebolística da cidade (o que contrastava com o crescimento exponencial dos clubes amadores em diversas localidades de Belo Horizonte). Outras questões podem ser elencadas como elementos conclusivos. As promessas do profissionalismo, quando de sua implementação, esbarraram-se em uma realidade concreta que criou novos desafios e novas demandas: problemas estruturais e financeiros dos clubes e a própria estrutura esportiva da cidade são alguns fatores. A efemeridade da profissão e a valorização de um corpo rentável (máquina) foram situações que impactaram mais precisamente os jogadores. Os problemas causados pela continuidade do êxodo dos atletas mineiros (um dos argumentos mais utilizados para a implantação do regime) impactaram diretamente os clubes e as tentativas de se igualar o estado às cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. Por fim, a descoberta de novas informações sobre a decisão do América F.C em mudar as cores de seu uniforme contribuiu para repensar o próprio processo de implantação do profissionalismo em Belo Horizonte, além da produção de “histórias oficiais” e de mitos fundacionais, não somente em relação a este clube, mas em um contexto mais amplo de existência de outros clubes brasileiros.

Palavras-chave: Futebol; História; Amadorismo; Profissionalismo.

Abstract

This present investigation is aimed to analyse the history of football in the city of Belo Horizonte, Minas Gerais, between the 1930s and 1940s, more accurately from 1933, when professionalism was adopted in the city. We tried to verify how the implementation of this new regime impacted the daily life of the city, by means of the analysis of a time frame still not very well documented in the historical studies of football in the capital of Minas Gerais. The 1940s received a special particular emphasis in this study, taking into account certain peculiar characteristics of that moment, besides the unique structure of the city. As a method, thirty-nine newspapers and magazines edited in the cities of Belo Horizonte, Rio de Janeiro and Buenos Aires (this choice was guided by the dialogues established among the three sport centres), and that were published and circulated at the time were analysed. Minor personal and institutional files were also consulted, as well as memorial reports. The interpretation of the sources were based on the construction of categories of analysis: as “amateurism and professionalism”; “Modernity, tradition, class, culture and civilization”, and the idea of “sports field and distinction”; all linked to the history of the city of Belo Horizonte and its relationship with sports. In summary, we found that intense conflicts and misunderstandings marked the postprofessional period in the capital of Minas Gerais, involving meanings about amateurism and professionalism that coexist on the discursive level that sometimes valued “modernity”, as well as “tradition”. Several divisions of power and legitimacy resulted in distinctive sports fields, which after the establishment of professionalism, relegated to amateurism to a peripheral and disqualified place in the city’s football hierarchy (which contrasted with the exponential growth of amateur clubs in various locations in Belo Horizonte). Other issues may be listed as conclusive elements. The promises of professionalism, by the time it was implemented, came up against a concrete reality that created new challenges and new demands, such as: structural and financial problems for clubs and the city’s own sports structure. The precariousness of the profession and the valorisation of a profitable structure (machine) were factors that, most of all, impacted the players themselves. The problems arising from the continuous departure of the athletes from Minas Gerais (one of the main arguments for the implementation of the regime) had a direct impact on the clubs and the attempts to rival the state to the cities of Rio de Janeiro and São Paulo. Finally, the findings concerning America CF’s decision to change the colours of its uniform contributed to a new rereading of the professionalization process in Belo Horizonte, as well as the production of “official histories” and foundational myths, not only in relation to this Club, but in a broader context taking into consideration other Brazilian clubs.

Keywords: Football; History; Amateurism; Professionalism

Sumário

INTRODUÇÃO, 15
Fontes e percursos metodológicos, 42

1 A CIDADE DE BELO HORIZONTE: O FUTEBOL, O AMADORISMO E A MODERNIDADE RELATIVA NA “METRÓPOLE DE ALGUMA COISA”, 54
1.1 A modernidade relativa, 57
1.2 A veiculação do esporte em Belo Horizonte nas décadas de 1930 e 1940, 81
1.3 O futebol na cultura belo-horizontina: da particularização à expansão e as novas significações do campo esportivo, 99

2 O ADVENTO DO PROFISSIONALISMO: UM CONTEXTO DE INFLUÊNCIAS, 120
2.1 O profissionalismo inglês “ganha o mundo”, 122
2.2 As influências da Argentina no advento do profissionalismo brasileiro: “Esse facto terá grande repercussão no football sul-americano, é inquestionável”, 132
2.3 O advento do profissionalismo no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte: aproximações discursivas, 148
2.3.1 Rio de Janeiro: “Criemos o profissionalismo”, 148
2.3.2 “Os mineiros também adherirão?”, 165

3 A DUBIEDADE AMADORISMO-PROFISSIONALISMO EM BELO HORIZONTE NA DÉCADA DE 1940: LUGARES, MESCLAS, INTERCÂMBIOS E POSSIBILIDADES, 190
3.1 O controle do público: comportamentos e rentabilidades, 191
3.2 O lugar do amadorismo em tempos de profissionalismo: os discursos e as práticas cotidianas, 211
3.3 Jogadores profissionais com “alma de amadores”, 249
3.4 Jogadores profissionais “com alma de profissionais”, 255
3.5 As mazelas do profissionalismo: uma profissão que nasceu para não durar, 262
3.6 Mecanismos de racionalização no futebol, 272
3.7 O êxodo de jogadores no profissionalismo: “Minas será celeiro eternamente”?, 280

4 O AMÉRICA FUTEBOL CLUBE E O PROFISSIONALISMO: RESISTÊNCIA VERMELHA? 287
4.1 Do deca à decadência, 287
4.2 A camisa vermelha, 313

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS, 326

REFERÊNCIAS, 333

Referência

MAYOR, Sarah Teixeira Soutto. O futebol na cidade de Belo Horizonte: amadorismo e profissionalismo nas décadas de 1930 e 1940. 2017. 358 f. Tese (Doutorado em Estudos do Lazer) - Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017.