O lugar da cultura nos Jogos Olímpicos: uma análise dos Jogos de Berlim (1936)

Autores

Juliana da Silva Pinto Carneiro

Periódico / Revista

FuLiA / UFMG

Cidade

Belo Horizonte

Volume

v. 3

Número

n. 1

Páginas

p. 154-176

Ano

2018

Tema

Dossiê Futebol e política no mundo lusófono

ISSN

2526-4494

Resumo (pt)

Este artigo pretende analisar a programação cultural e artística dos Jogos Olímpicos, a partir da compreensão que os programas de cultura são um campo privilegiado para a consolidação dos aspectos simbólicos presentes nas edições destes megaeventos. Na primeira parte do artigo as informações estão sistematizadas em um breve panorama temporal, estruturado a partir de três momentos: a) De 1896 a 1912: as artes e a cultura não estavam formalmente inseridas nos Jogos Olímpicos; b) De Estocolmo (1912) a Londres (1948): edições de Jogos Olímpicos com competições das artes olímpicas; c) De Melbourne (1956) a Barcelona (1992): as diferentes concepções de programação cultural. Na segunda parte, o artigo investiga mais detidamente os Jogos de Berlim (1936), partindo da premissa que o governo alemão entendeu a “força simbólica dos elementos culturais” e a potencializou com estratégias de propaganda para consolidar as principais representações do modelo nazista.

PALAVRAS-CHAVE: Programação Cultural; Jogos Olímpicos; Cultura; Jogos de Berlim.

Abstract

This article intends to analyse the cultural and artistic programmes of the Olympic Games, from the comprehension which cultural programmes are a privileged pitch for the consolidation of this megaevents’ symbolic aspects. In the first part of the article the information is ordered in a brief time overview, from three moments: a) from 1896 to 1912: art and culture where not formally inserted in the Olympic Games; b) from Stockholm (1912) to London (1948): Olympic Games editions with Olympic arts competitions; c) From Melbourne (1955) to Barcelona (1992): the distinct cultural programme conceptions. In the second part, the article investigates directly the Berlin Games (1936), from the assumption which the German government understood the “symbolic strength of cultural elements” and potentialized it with propaganda strategies to consolidate the main representations of the Nazi model.

KEYWORDS: Cultural Programme; Olympic Games; Culture; Berlin Games.

Referência

CARNEIRO, Juliana da Silva Pinto. O lugar da cultura nos Jogos Olímpicos: uma análise dos Jogos de Berlim (1936). FuLiA / UFMG. Belo Horizonte, v. 3, n. 1, p. 154-176, 2018.