O racismo no futebol do Rio de Janeiro nos anos 20: uma história de identidade

Autores

Antonio Jorge Gonçalves Soares

Periódico / Revista

Revista Paulista de Educação Física

Cidade

São Paulo

Volume

v. 13

Número

n. 1

Páginas

p. 119-129

Ano

1999

ISSN

0102-7549

Resumo (pt)

A fundação da Associação Metropolitana de Esportes Atléticos (AMEA) em 1924, segundo a versão dominante de jornalistas e acadêmicos é tomada como o principal indício da mentalidade racista presente no futebol nos anos 20. O Clube de Regatas Vasco da Gama, ao vencer o campeonato de 1923 com um time de negros e mestiços, teria motivado a ruptura no futebol e a criação da AMEA. O objetivo deste estudo é demonstrar que a trama “racista” que explica a fundação da AMEA em decorrência da vitória do Vasco debilita-se, e no máximo toma-se lateral, pela ausência de dados. A fundação da AMEA a partir de novos levantamentos, é melhor explicada pela tensão entre a manutenção da ética do amadorismo e a rápida popularização do futebol nos anos 10 e 20 do século XX, e pela dinâmica das instituições esportivas.

UNITERMOS: Futebol História; Vasco; Racismo; Amadorismo.

Referência

SOARES, Antonio Jorge Gonçalves. O racismo no futebol do Rio de Janeiro nos anos 20: uma história de identidade. Revista Paulista de Educação Física. São Paulo, v. 13, n. 1, p. 119-129, 1999.