O time como comunidade luminosa: “A turma da Rua Quinze” e “Aventura no Império do Sol”

Autores

Tânia Sarmento-Pantoja

Periódico / Revista

FuLiA / UFMG

Cidade

Belo Horizonte

Volume

v. 3

Número

n. 1

Páginas

p. 112-125

Ano

2018

Tema

Futebol e política no mundo lusófono

ISSN

2526-4494

Resumo (pt)

Este artigo analisa A turma da Rua Quinze (1989), de Marçal Aquino, e Aventura no Império do Sol (1989), de Silvia Cintra Franco, romances originariamente publicados pela Coleção Vaga-Lume. Em ambos observamos que o jogo – representado pelo futebol e o voleibol – está incorporado ao cotidiano e mesmo ao patrimônio cultural dos personagens, como “elemento estruturante”, segundo Elcio Cornelsen (2012), de uma educação para vida, que envolve uma ética das relações pessoais e a formação para a sobrevivência, na medida em que mesmo pertencendo a um time, os personagens passam a atuar como uma “comunidade luminosa” de acordo com Annie Figueiredo (2016).

Palavras-chave: Futebol; Cinema; Literatura; Desaparecimento.

Abstract

This article analyzes A turma da Rua Quinze (1989), of Marçal Aquino, and Aventura no Império do Sol (1989), of Silvia Cintra Franco, novels originally published by Vaga-Lume Collection. In both, we observe that the game – represented by football and volleyball – is incorporated into everyday life and even to the cultural patrimony of the characters, as a structural element, according to Elcio Cornelsen (2012), of an education for life that involves an ethics of personal relationships and the formation for survival, in that even though they belong to a team, the characters begin to act as a “luminous community” as stated by Annie Figueiredo (2016).

Keywords: Football; Movie theater; Literature; Disappearance.

Referência

SARMENTO-PANTOJA, Tânia. O time como comunidade luminosa: “A turma da Rua Quinze” e “Aventura no Império do Sol”. FuLiA / UFMG. Belo Horizonte, v. 3, n. 1, p. 112-125, 2018.