O tradicional e o moderno

Autores

José Luiz dos Anjos

Subtítulo

faces da cultura popular no futebol brasileiro

Orientador

Márcia Regina da Costa

Banca

José Paulo Florenzano, Luiz Henrique de Toledo, Maria Helena Villas Boas Concone, Carlos Alberto Máximo Pimenta

Faculdade / Instituição

Faculdade de Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Tipo

Tese

Área de concentração

Doutorado em Ciências Sociais

Ano

2003

Páginas

238

Cidade

São Paulo

Resumo (pt)

O estudo analisa as manifestações da cultura popular brasileira no interior do futebol profissional praticado no Brasil. Analisa os discursos das informações colhidas com os atores (jogadores, dirigentes, técnicos e jornalistas) de equipes de futebol que disputam os campeonatos regionais e nacionais. Introduz a discussão em torno das características propostas por A. Guttmann, consubstanciado na teoria de Max Weber. Para contrapor a racionalidade dos conhecimentos científicos, que lentamente estão sendo introduzidos no futebol brasileiro, o estudo busca em Georges Balandier suportes teóricos que demarquem olhares antropológicos, quando os rituais de fé, crença e superstições existentes no cotidiano popular brasileiro afloram nos atores do futebol, sendo a racionalidade insuficiente para explicar as manifestações que ocorrem nesse espaço. Busca introduzir uma discussão em torno da formação de clubes de futebol identificando dois contextos geográficos: a Região Sul, do início do século XX até meados de 1930, e a região do interior de São Paulo, detendo-se na fundação dos clubes, logo no início do século XX. Nos dois momentos, o estudo procurou abordar e identificar contextos populares na formação dos clubes de futebol, introduzindo uma discussão de resistência cultural no Sul e de manutenção de uma família de sentimentos mútuos na formação dos clubes do interior de São Paulo. Como tradicional, no futebol, o estudo aponta a identificação de crenças, fé, superstições e discursos de exjogadores de futebol que sinalizam uma possível volta ao futebol sem os superlativos da modernidade.

Unitermos: 1. moderno e tradicional; 2. fé, crenças e superstição; 3. futebol.

Abstract

The study analyses the manifestations of Brazilian Popular Culture inside professional Soccer, played in Brazil. The researches are connected to the analysis of information obtained with the key players in soccer game (actual players, directors, technicians and journalists) and teams that dispute regional and national contests. Introduces the discussion around the characteristics proposed by A. Guttman based on Max Weber’s theory. To counterpose the rationality of scientific knowledge that is little by little being introduced in the Brazilian Soccer. The study searches in George Balandier, theoretical supports that delimit anthropological looks, when the rituals of faith, creed and superstition present in the daily life of Brazilian population emerge in the players of soccer game, being the rationality insufficient to explain manifestations that happen in this space. It tries to introduce a discussion around the formation of soccer clubs identifying two geographical contexts: the Southern Region, in the beginning of the 20th century until mid 1930’s and the inner State of São Paulo, in the formation of clubs, in the beginning of the 20th century. In both moments, the study tried to approach and identify popular contexts in the formation of soccer clubs, introducing a discussion of cultural resistance in the south and the maintenance of a family of mutual feelings in the formation of clubs in the inner state of São Paulo. As it is already a tradition, in soccer, the study points out the identification of creeds, faith, superstitions and speeches of ex soccer players that signalize a possible return to soccer without the superlative of modernity.

Uniterms: 1, modern and traditional; 2, faith, creeds and superstition; 3, soccer.

Sumário

Introdução, 5

Capítulo 1
1 A dessacralização do jogo: a secularização e a perpetuação simbólica no esporte moderno, 21
1.1 A gênese do esporte moderno: o jogo transformado em esporte, 23
1.2 Inglaterra do século XX: dos jogos populares para o esporte moderno, 30
1.3 O campo da sociologia: prólogo das teorias do esporte e a explicação marxista do esporte moderno como construção burguesa, 41
1.4 Marco introdutório da modernidade: a instrumentalidade no esporte, 48
1.4.1 Esporte moderno: marco para distinguirmos a racionalidade no esporte, 50
1.4.2 Igualdade no esporte moderno: a participação universal – motivo das singularidades, 53
1.4.3 A especialização de papéis , burocracia e a racionalização: a fragmentação dos espaços do esporte moderno, 58
1.4.4 A quantificação e o mundo dos recordes: marco entre a provocação do tempo e a ousadia científica – e o homem?, 69

Capítulo 2
2 O tradicional e o moderno: a gênese e espaço da convivência da razão e da emoção no futebol brasileiro, 74
2.1 O futebol no Brasil e sua inserção sociopolítica, 77
2.1.1 Futebol e literatura: discursos e interpretações acerca do futebol brasileiro, 92
2.2 O futebol e a reafirmação das classes populares, 104
2.2.1 O Futebol no Rio Grande do Sul no início do século XX, 105
2.2.2 O “popular” no futebol do interior de São Paulo, 114

Capítulo 3
3 A identificação das características moderna e tradicional, 127
3.1 O modelo tradicional: falas e discursos dos agentes de sua continuidade, 129
3.2 O moderno e seus discursos de poder, 156
3.3 O popular entra no jogo: resistência de tradições e o mundo mágico do futebol, 172
3.3.1 A superstição e a fé não jogam mas entram em campo, 186
CONCLUSÃO: reflexão para continuarmos jogando, 216

Referências, 226

Bibliografias
, 232

Referência

ANJOS, José Luiz dos. O tradicional e o moderno: faces da cultura popular no futebol brasileiro. 2003. 238 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Faculdade de Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2003.