Os futebolistas invisíveis: os portugueses em França e o futebol

Autores

Victor Pereira

Periódico / Revista

Etnográfica

Cidade

Lisboa

Volume

v. 16

Número

n. 1

Páginas

p. 97-115

Ano

2012

ISSN

0873-6561

Resumo (pt)

Em 2009, existiam pelo menos 205 clubes de futebol portugueses em França. Este número demonstra que o futebol tem um “sentido profundo” para os portugueses emigrados em França. O futebol ajudou os migrantes a adaptarem-se a um ambiente urbano e à sociedade moderna francesa. Também constitui um “bem cultural”. Os portugueses inventaram um savoir-faire que lhes permitiu atingir um certo reconhecimento social. O futebol também é muito importante na relação entre pais e filhos, uma relação muito particular no contexto da migração. Muitos pais portugueses transmitiram aos filhos a sua paixão pelo futebol e o seu interesse pelos clubes portugueses. Muitas vezes, esta paixão foi sinónimo da transmissão de uma identidade portuguesa.

PALAVRAS-CHAVE: futebol, emigração portuguesa, França, associativismo migrante, transmissão intergeracional, identidade

Abstract

In 2009, at least 205 “Portuguese soccer teams” existed in France. This number demonstrates that soccer has been a “deep play” among Portuguese in France. Soccer helped the migrants to adapt themselves to an urban environment and to French modern society. It is also a valued “cultural good”. Portuguese migrants invented a savoir-faire that permitted them to reach a certain social recognition. Furthermore, soccer has been very important regarding the relationship between fathers and sons, which must be seen as a particular link in the migration context. Portuguese fathers transmitted their passion for soccer and their fervent interest for Portuguese soccer teams to their sons. Many times this passion was synonymous with the transmission of a Portuguese identity.

KEYWORDS: soccer, Portuguese emigration, France, migrants associations, generational transmission, identity

Referência

PEREIRA, Victor. Os futebolistas invisíveis: os portugueses em França e o futebol. Etnográfica. Lisboa, v. 16, n. 1, p. 97-115, 2012.