Para o que der e vier

Autores

Arlei Sander Damo

Subtítulo

o pertencimento clubístico no futebol brasileiro a partir do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e seus torcedores

Orientador

Ruben George Oliven

Banca

Benedito Tadeu César, José Sérgio Leite Lopes, Maria Eunice de Souza Maciel

Faculdade / Instituição

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Antropologia

Ano

1998

Páginas

247

Cidade

Porto Alegre

Resumo (pt)

Este trabalho é resultado de uma pesquisa etnográfica, realizada junto ao Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e seus torcedores, acerca do pertencimento clubístico. Tendo esses torcedores como referência, são abordados vários aspectos da relação torcedor-clube de futebol no Brasil. Considerando-se esta relação como a mola propulsora do gosto pelo futebol, são investigados os aspectos simbólicos constitutivos das rivalidades entre os clubes e, por extensão, entre seus torcedores. Como tais rivalidades transcendem o universo específico do futebol, busca-se identificar, através delas, os pontos de intersecção entre este esporte e outras esferas da sociedade brasileira. Sendo o Grêmio um clube de Porto Alegre e as rivalidades locais as mais densas, é por oposição ao Sport Club Internacional, o “outro” porto-alegrense, que os gremistas se pensam primeiramente. Também se pensam entre si, enquanto totalidade, uma comunidade de sentimento traduzida pelo termo êmico nação. E quando o Grêmio vence equipes de outros Estados, especialmente do centro do país, permite expressar os antigos e ao mesmo tempo atuais sentimentos regionalistas. Em mostrar como pode o pertencimento clubístico operar em tantas frentes, e como procede em cada uma delas, constitui o propósito desta dissertação.

Abstract

This text is the result of an ethnographic research done with Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense and its fans about their adherence to the club. Having the fans as reference, various aspects about the relationship as the main motivation for the enthusiasm with soccer, the symbolic aspects that constitute the rivalry between clubs, and, by extension, between the respective fans, are researched. Since this rivarly transcends the especific universe related to soccer, I try to identify, through it, the intersection points between this sport and other realms of the Brazilian society. Since Grêmio is a club from Porto Alegre and the local rivarly is the densest, the fans of Grêmio first think about themselves opposition to Sport Club Internacional, the Porto Alegre “other”. They also think about themselves as a totality, a community of sentiment, wich is translated by the term “nação”. And when Grêmio defeats teams from other states, specially from the center of the country, this causes them to express the old and, at the same time, current regional feelings. Thus, the purpose of this dissertation is to show how the adherence to a team can operate in so many ways, and how it performs in each one of the ways explored.

Sumário

Apresentação, 7

Capítulo I – A emergência do associacionismo esportivo e do futebol: uma visão panorâmica
1.1 A restrição da violência e a emergência dos esportes modernos, 16
1.2 O surgimento do associacionismo e a difusão dos esportes modernos, 25
1.3 A democratização do futebol e as classes trabalhadoras, 30

Capítulo II – Clube do coração: bom para torcer, bom para se pensar
2.1 Caleidoscópio clubístico, 36
2.2 O habitus associacionista, 41
2.2.1 Os clubes de elite, 41
2.2.2 Os clubes-equipes, 49
2.2.3 Os clubes de fábrica, 53
2.2.4 As “peladas”: um contraponto, 57
2.3 Os torcedores e seus clubes, 60
2.3.1 Torcer, participar e significar, 60
2.3.2 Bons para torcer, bons para se pensar: os clubes como categorias do entendimento, 66

Capítulo III – Ser gremista ou colorado: eis a questão
3.1 Alguns dados sobre o perfil de gremistas e colorados, 75
3.2 A cidade polarizada, 85
3.2.1 A chegada dos meetings e clubs a Porto Alegre, 85
3.2.2 Itinerários das paixões, 95
3.3 Gre-Nal em preto e branco, 99
3.3.1 A Liga dos Canelas Pretas, 100
3.3.2 Os Diabos Rubros do Rolo Compressor, 105
3.3.3 Tesourinha: do Areal da Baronesa à uninimidade, 109
3.3.3.1 Ao Internacional: o futebol, 109
3.3.3.2 Ao Grêmio: a cor, 111
3.4 Olímpico e Beira Rio: materializando as diferenças, 116
3.4.1 A simbólica dos estádios, 116
3.4.2 Coreia e camarotes: os espaços diacríticos, 122

Capítulo IV – Nação gremista
4.1 Comunidade de sentimento e nação-clube de futebol, 132
4.2 Crise de identidade e reinvenção das tradições, 138
4.2.1 A derrocada do amadorismo no Grêmio, 138
4.2.2 A mobilização dos torcedores e o fim da crise, 148
4.3 Pertencimento e êxtase coletivos, 155
4.3.1 “Para o que der e vier”: Grêmio versus Palmeiras, 156
4.3.2 “Com o Grêmio onde o Grêmio estiver”: Palmeiras versus Grêmio, 161
4.3.3 “Ao vencedor as batatas”: Flamengo versus Grêmio – parte I, 168
4.4 Nos bastidores do Grêmio, 172
4.4.1 Os cônsules gremistas, 173
4.4.2 Dona Ema e Tia Dalva, 176

Capítulo V – Ah! Eu sô gaúcho! O nacional e o regional no futebol brasileiro
5.1 Futebol e “futebóis”: estilo brasileiro e diversidades regionais, 183
5.1.1 A invenção do estilo brasileiro, 185
5.1.1.1 A contribuição fundante de Gilberto Freyre, 186
5.1.1.2 Idas e vindas do futebol-arte, 189
5.1.2 A invenção do estilo gaúcho, 193
5.1.2.1 Do regionalismo ao gauchismo, 195
5.1.2.2 O regionalismo no futebol, 199
5.2 Encaixes e desencaixes do estilo gaúcho no futebol-arte, 206
5.2.1 O Grêmio e o mal-estar no futebol-arte, 207
5.2.1.1 O antiestilo, 208
5.2.1.2 Violento não, pegador!, 214
5.2.2 Com a palavra os torcedores, 219
5.2.2.1 O pacto, 220
5.2.2.2 Indignação e protesto, 222
5.2.23 “Ao vencedor as batatas” – parte II, 224

Prorrogação, 229

Referências bibliográficas, 229

Anexos, 232

Referência

DAMO, Arlei Sander. Para o que der e vier: o pertencimento clubístico no futebol brasileiro a partir do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e seus torcedores. 1998. 247 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1998.