Por que você não olha pra mim?

Autores

Daniele Mariano Seda

Subtítulo

Invisibilidade social de jovens em situação de vulnerabilidade e o futebol como luta por reconhecimento

Orientador

Jorge Coelho Soares

Banca

Ariane Patrícia Ewald, Aluísio Ferreira de Lima, Fernando José de Castro

Faculdade / Instituição

Psicologia Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Psicologia Social

Ano

2012

Páginas

171

Cidade

Rio de Janeiro

Resumo (pt)

A presente dissertação discute o futebol como caminho para o reconhecimento social por jovens em situação de vulnerabilidade, entendida aqui pela afrodescendência, residência em favelas e a escassez de recursos financeiros. Esta vulnerabilidade pode remeter a uma invisibilidade social, que pode ser compreendida como relações sociais onde alguns sujeitos, por serem na esmagadora maioria das vezes proscritos do mundo significativo daqueles que detêm o poder, através da indiferença, e/ou por habitarem o imaginário social de forma negativa sendo estigmatizados, não têm suas capacidades e potencialidades reconhecidas e passam a ser ignorados e privados de muitas formas de interação social. Dialeticamente, no cerne destas relações, está presente a luta por reconhecimento, aqui estudada com base na Teoria Crítica e especialmente nos escritos do teórico Axel Honneth. A relação do indivíduo consigo próprio está atrelada às experiências de reconhecimento, pois ele se constitui unicamente porque aprende – através do assentimento ou encorajamento de outrem – a referir a si próprio determinadas características. Quando essas experiências são precárias, como ocorre nos casos de invisibilidade social, se dá uma busca, uma cobrança, uma luta pelo reconhecimento negado. Reconhecimento social que pode ser obtido através do futebol e seus desdobramentos, como a possibilidade do consumo conspícuo, da exposição midiática e de um suposto poder de mudança social. Como metodologia para compreender melhor estas questões foram analisadas produções sociais, como filmes, livros, músicas e reportagens, as quais foram consideradas sinais de uma sociedade capitalista, sociedade do espetáculo e individualista que se apresenta como meritocrática, ignorando que a disponibilidade de recursos da cultura dominante que cada sujeito possui, tem relação positiva com o sucesso pessoal. E para ilustrar o contexto histórico, social e cultural, onde jovens em situação de vulnerabilidade e muitas vezes invisíveis socialmente lutam por reconhecimento através do futebol, foram realizadas entrevistas com jovens jogadores de futebol da Vila Olímpica da Mangueira. A ascensão social e a identidade de ser um jogador de futebol são almejadas pelo desejo de obtenção de experiências de reconhecimento positivas nas três esferas do reconhecimento e que assim possam promover mudanças em suas respectivas autorrelações práticas: na dedicação emotiva, sendo mais amados por seus familiares e amigos (autoconfiança); no respeito cognitivo, obtendo cidadania que lhes é rotineiramente negada (autorrespeito); e na estima social, ao serem elogiados pela performance esportiva, ter fama e visibilidade, e exercer uma função social respeitada e digna de admiração (autoestima). Em suma, esta pesquisa busca apontar o futebol como instrumento para análise da dinâmica social e contribui por conectar o contexto esportivo ao social, visando fomentar nos profissionais que trabalham com esta população uma prática mais ampla e crítica, que possa ser capaz de ajudar a promover efetivamente mudanças sociais.

Abstract

The present dissertation discusses about soccer as one path to social recognition by young people in situation of vulnerability, understood here by being afro-descendant, residence in slums and lack of financial resources. This vulnerability may refer to a social invisibility, which can be understood as social relations in which some persons, because they are the overwhelming majority of the time proscribed by the meaningful world of those who have the power, through indifference, and/or inhabit the social imaginary in a negative way by being stigmatized, have not recognized their abilities and potential, are ignored in some areas of social life, private from forms of social interaction. Dialectically, the heart of these relationships, this is the struggle for recognition, in this paper based on Critical Theory, especially in the writings of the theorist Axel Honneth. An individual’s relationship with oneself tied to the experiences of recognition because it is only because they learn – with the consent or encouragement of others – referring to themselves certain characteristics. When these experiences are precarious, as in the case of social invisibility, a search takes place, a struggle for the recognition denied. Social recognition which can be obtained through soccer and its consequences, as the possibility of conspicuous consumption, of media exposure and a supposed power of social change. As a methodology to better understand these issues were analyzed social productions such as films, books, lyrics and reports, which were considered signs of a capitalist society, spectacular society and individualistic which presents itself as meritocratic, ignoring the availability of resources of the dominant culture that each person has, is positively related to personal success. And to illustrate the historical, social and cultural context, where young people in vulnerability and often socially invisibles struggle for recognition through soccer, interviews were conducted with young soccer players from the Olympic Village of Mangueira. The social rise and the identity of being a soccer player is targeted by the desire to obtain recognition of positive experiences in the three spheres of recognition and thus able to make changes in their self-relations practices: emotional dedication, being most loved by family and friends (self-confidence); the cognitive regard, become a citizen is routinely denied to them (self respect), and social esteem, by being praised for their sporting performance, having fame and visibility, and perform a social function that is admired and respected (self-esteem). In short, this research seeks to identify soccer as a tool for analysis of social dynamics and contributes by connecting the sport to the social context in favor of promoting the professionals that work with this population a much wider and critical practice, which might be able to effectively help promote social changes.

Sumário

INTRODUÇÃO, 10

1 INVISIBILIDADE SOCIAL, 26

1.1 Retratos da invisibilidade social de jovens em situação de vulnerabilidade social, 37

2 DESIGUALDADE SOCIAL E EXCLUSÃO, 44

2.1 A banalização do mal, 47

2.2 A atribuição do estigma e o futebol, 51

2.2.1 A atribuição do estigma de “menor” , 57

3 A ESPETACULARIZAÇÃO DO FUTEBOL E SEUS DESDOBRAMENTOS 68,

3.1 Grandes eventos e craques, 79

3.2 O jogador e o mito do herói, 88

3.3 Ser negro: os espaços de reconhecimento, 93

3.4 A hora de pendurar as chuteiras, 103

4 FUTEBOL E ASCENSÃO SOCIAL., 107

5 LUTA POR RECONHECIMENTO E O FUTEBOL, 113

5.1 Padrões de reconhecimento intersubjetivo e suas respectivas autorrelações práticas, 118

5.2 Amor e autoconfiança, 120

5.3 Direito e autorrespeito, 123

5.4 Solidariedade e autoestima., 125

6 CONSIDERAÇÕES FINAIS, 128

REFERÊNCIAS, 132

ANEXO A: Roteiro das entrevistas, 144

ANEXO B: TCLE,  145

ANEXO C: Parecer COEP,  146

ANEXO D: Transcrições das entrevistas, 147

 

Referência

SEDA, Daniele Mariano. Por que você não olha pra mim?: Invisibilidade social de jovens em situação de vulnerabilidade e o futebol como luta por reconhecimento. 2012. 171 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) - Psicologia Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.