Preservação da memória

Autores

Katia Rubio

Subtítulo

a responsabilidade social dos Jogos Olímpicos

Editora

Képos

Cidade

São Paulo

Tema

Memória

Área de concentração

Jogos Olímpicos

Páginas

236

Ano

2014

ISBN

9788583730248

Sumário

Tempo de diálogo sobre a preservação da memória do esporte brasileiro, 9

Parte I – Preservação e Legado

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro: aspectos históricos e sociais, 15
Pedro Paulo A. Funari

Movimento Olímpico: uma leitura sociológica sobre desenvolvimento, cenários de crises e futuras possibilidades de mudanças, 29
Bárbara Schausteck de Almeida, Wanderley Marchi Júnior

Educação no Esporte. A Jornada das Olimpíadas Estudantis, 47
Maria Alice Zimmermann

Presente e futuro do olimpismo: o legado da geração X, 61
Raoni Perrucci T. Machado

A importância da preservação e construção de acervos: a experiência do Centro de Memória do Esporte (ESEF-UFRGS), 77
Silvana Vilodre Goellner

Memória e história: desafios metodológicos para os estudos do esporte, 87
Victor Andrade de Melo

Parte II – Memórias, narrativas e histórias de vida

Memórias e narrativas biográficas de Atletas Olímpicos Brasileiros, 105
Katia Rubio

O universo das narrativas, 123
Luciana Ferreira Angelo

Narrativa vivida no desporto paralímpico português, 139
Ana Sousa, Rui Corredeira, Ana Luísa Pereira

A onipresença de João Havelange no esporte, 165
Sérgio Settani Giglio

Memórias cruzadas: histórias que reescrevem o esporte olímpico brasileiro, 187
Isaias Sodré da Nóbrega Junior, Júlia Frias Amato, Roberta Cardoso

Entre o passado e o presente: o jogo dos papéis nas narrativas de transição de carreira de Paula e Agra, 203
Neilton de Sousa Ferreira Junior

A condição do gregário no ciclismo de estrada. Aspectos de uma prática competitiva singular no esporte contemporâneo, 219
Rafael Campos Veloso

Sobre os autores, 233

Sinopse

Alguns temas encontram-se hoje na zona fronteiriça entre diferentes campos do saber. A memória é um deles. Gesto essencialmente humano por somar afetividade, cognição, historicidade e cultura, tendo como figura central a pessoa que narra o que recorda, na memória estão contidas as marcas do tempo e dos grupos sociais aos quais pertencemos. Tema caro à psicologia, psicofisiologia, neurociências e à biologia, passou a ser do interesse daantropologia, da sociologia e da história, quando o entendimento da memória saltou do campo da aprendizagem e da educação e alcançou o campo social com a memória coletiva. Retrato de um fato essencialmente humano a memória se aproxima do esporte no sentido do registro dessa atividade que se tornou um dos grande espetáculos do mundo contemporâneo. O esporte, assim como outros fenômenos humanos, apresenta as marcas de um fato que se configura como social e se perpetua no atleta, olímpico ou não, como o narrador de eventos que colaboram para a formação de um imaginário esportivo. Isso porque na condição de protagonista do espetáculo ele tanto é o herói de seu tempo como o anônimo em um futuro chamado pós-carreira.

Referência

RUBIO, Katia. Preservação da memória: a responsabilidade social dos Jogos Olímpicos. São Paulo: Képos, 2014.