Qual o protagonismo das Torcidas Organizadas? Uma discussão acerca da violência no futebol brasileiro

Autores

Daniela Pereira da Silva Ribeiro, Diogo Corrêa Meyer, Victor de Leonardo Figols

Periódico / Revista

Recorde: Revista de História do Esporte

Cidade

Rio de Janeiro

Volume

v. 11

Número

n. 1

Páginas

p. 1-8

Ano

2018

ISSN

1982-8985

Resumo (pt)

A violência nos eventos futebolísticos nacionais tem chamado a atenção dos meios de comunicação e da opinião pública em geral. O desejo de encontrar um culpado para este problema leva à criminalização cada vez mais comum das torcidas uniformizadas, levando grandes representantes do meio esportivo a defenderem sua extinção. No entanto, como Marcelo Palhares e Gisele Schwartz demonstram em seu livro, “não é só a torcida organizada” que é responsável por este cenário no país, revelando uma abordagem inovadora no campo das Ciências Humanas e Sociais que foge às temáticas convencionais nos temas da violência e esporte. A resenha do livro Não é só a torcida organizada: o que os torcedores organizados têm a dizer sobre a violência no futebol? busca esmiuçar como esta chave metodológica lança novas luzes sobre o problema da violência nos espaços de futebol do Brasil.

Palavras-chave: Torcidas Organizadas; Futebol; Violência.

Abstract

Violence in Brazilian football games got high attention from the media and the public opinion nowadays. The desire to find a guilty character for this problem brings to increasingly common criminalization of torcidas organizadas (similar as European ultras or British firms), when notable journalists and other media members enforces the extinction of this lifestyle. However, as Marcelo Palhares and Gisele Schwartz describes in the book, it isn’t only the torcida organizada who act as the single responsible for this national scenario; also, they revealing an innovative approach in the Social Sciences area that escape for the conventional issues in the violence and sports themes. The review from the book Não é só a torcida organizada: o que os torcedores têm a dizer sobre a violência no futebol? look for how this metodologic key brings new issues for the problem of violence in the Brazilian football fields.

Keywords: Torcidas organizadas; football; violence.

Resumo (outro idioma)

Las violencias en los eventos futbolísticos nacionales han llamado la atención de los medios de comunicación y de la opinión pública en general. El deseo de encontrar un culpable para este problema lleva, cada vez más, a la criminalización de las torcidas organizadas, y a los grandes representantes del medio deportivo a defender su extinción. Sin embargo, como Marcelo Palhares y Gisele Schwartz demuestran en su libro, no es solo las torcidas organizadas que son responsables de este escenario en el país, revelando una mirada innovadora en el campo de las Ciencias Humanas y Sociales que escapa a los enfoques convencionales en los trabajos sobre violencia y deporte. La reseña del libro Não é só a torcida organizada: o que os torcedores organizados têm a dizer sobre a violência no futebol? busca destacar la clave metodológica que arroja nueva luz sobre el problema de la violencia en los espacios del fútbol brasileño.

Palavras-chave: Torcidas Organizadas; Fútbol; Violencia.

Referência

RIBEIRO, Daniela Pereira da Silva; MEYER, Diogo Corrêa; FIGOLS, Victor de Leonardo. Qual o protagonismo das Torcidas Organizadas? Uma discussão acerca da violência no futebol brasileiro. Recorde: Revista de História do Esporte. Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p. 1-8, 2018.