Se é futebol, é masculino?

Autores

Cláudia Samuel Kessler

Periódico / Revista

Sociologias Plurais

Cidade

Curitiba

Número

n. 1 - especial

Páginas

p. 240-254

Ano

2012

Tema

IV Seminário Nacional de Sociologia e Política

ISSN

2316-9249

Resumo (pt)

Comumente, em referência a atletas de futebol, evoca-se uma masculinidade tradicional (BONINO, 2008), definida como modelo social hegemônico. No presente artigo, refletir-se-á sobre a chamada “área reservada masculina” (MAGUIRE & DUNNING, 1997), considerada como relevante à manutenção das estruturas patriarcais. A partir de coberturas jornalísticas veiculadas na mídia brasileira e dados etnográficos de pesquisa com jogadoras do Rio Grande do Sul, procurar-se-á entender como as características consideradas masculinas aparecem e de que forma influenciam nas práticas por elas realizadas.

Palavras-chave: Masculinidade. Feminilidade. Futebol.

Referência

KESSLER, Cláudia Samuel. Se é futebol, é masculino?. Sociologias Plurais. Curitiba, n. 1 - especial, p. 240-254, 2012.