Ser ou não ser racista no caso Aranha

Autores

Cíntia Miguel Kaefer

Subtítulo

Investigação sobre a propagação, incerteza e circulação midiática

Orientador

Jairo Getúlio Ferreira

Banca

Antonio Fausto Neto, Christa Berger

Faculdade / Instituição

Unidade Acadêmica de Pesquisa e Pós-graduação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Comunicação

Ano

2016

Páginas

125

Cidade

São Leopoldo

Resumo (pt)

Esta dissertação é um estudo do caso construído a partir da denúncia de racismo que ocorreu em 28 de agosto de 2014. No início, envolvendo o goleiro Aranha, a torcedora Patrícia Moreira, a ESPN e o Grêmio, a partir de ofensas ocorridas no final da partida de futebol pela Copa do Brasil, em Porto Alegre. Nossa pergunta central: o que fez ‘explodir’ o dilema em processos midiáticos? A construção do caso abrangeu a observação da agonística entre instituições midiáticas, instituições midiatizadas e atores individuais em interação, em torno do tema e dilema, num contexto teórico sobre a circulação, os ambientes e os circuitos constituídos. Na pesquisa, desenhamos o percurso das interações, inauguradas por ato fundante – a denúncia de racismo dirigida às torcidas -, transformada, por uma operação semio-tecno-midiática, em focalização (Patrícia Moreira). A partir das análises preliminares realizadas, concluímos sobre a pertinência de acionar as formulações sobre a incerteza (Prigogine) para entendermos a propagação e circulação do acontecimento. A pesquisa se desenvolve na perspectiva do método em que é central a busca de inferências abdutivas (o caso), dedutivas (ampliações de observações e inferências sobre o empírico) e indutivas (a busca de relações transversais). As conclusões remetem à propagação como categoria central na constituição da incerteza, se contrapondo às tentativas, de diversos atores e instituições, em dar o caso (midiático) por encerrado. Nas conclusões, refletimos sobre o fim do fluxo das ondas.

Palavras-chave: Midiatização. Circulação. Processos sociais. Racismo. Futebol.

Abstract

This thesis is a study about a case built from the report of racism occurred on August 28th in 2014. In the beginning, the offenses involved the goalkeeper Aranha, the supporter Patrícia Moreira, ESPN and Grêmio Football at the end of a soccer match for Copa do Brasil (Brazil Cup) in Porto Alegre. Our key question was: what drove the dilemma in mediatic processes? The case construction comprehended the agonistic observation among mediatic institutions, mediatized institutions and individual actors in interaction, surrounding the theme and dilemma in a theoretical context about its circulation, the environments and the established circuits. In the research, we drew the trajectory of the interactions, opened by the founding act – the reported racism from the supporters – transformed, by a semio-techno-mediatic operation, into focalization (Patrícia Moreira). From the preliminary analysis carried out, it was concluded about the pertinence of activating the formulations about uncertainty (Prigogine) in order to understand the propagation and circulation of such event. The research is developed under the perspective of the method whose central search is for abductive inferences (the case), deductive (broadening of observations and inferences about the empiric) and inductive (the search for transversal relations). The conclusions remit to the propagation as central category in the constitution of uncertainty, opposing the attempts, from several actors and institutions, to cease the (mediatic) case. In the conclusions, there’s a reflection about the end of the flow of waves.

Key-words: Mediatization. Circulation. Social Processes. Racism. Soccer

Sumário

1 INTRODUÇÃO, 15
1.1 DELIMITAÇÕES DO TRABALHO, 15
1.2 OBJETIVOS, 16
1.2.1 Objetivo Geral, 16
1.2.2 Objetivos Específicos, 16
1.3 A CONSTITUIÇÃO DO CASO, 16
1.3.1 O método, 18
1.3.2 Contexto de Investigação, 20
1.3.3 Sobre o circuito ambiente investigado, 23
1.3.3.1 Instituições e Processos Midiáticos, 24
1.3.3.2 Atores Individuais, 24
1.3.3.3 Atores em Redes Digitais, 25
1.3.3.4 A instituição Midiatizada na Rede, 25
1.3.4 Questões de Pesquisa, 26
1.3.5 Proposições e inferências preliminares, 27
1.4 JUSTIFICATIVA, 28

2 CONTEXTOS, 29
2.1 CONTEXTO REFLEXIVO: O RACISMO NO FUTEBOL, 29
2.2 CODIFICAÇÕES CONCORRENTES, 38
2.2.1 O Acontecimento, 39
2.2.2 Campos Sociais e Campo das Mídias, 42
2.2.3 Comunicação Organizacional e Crise, 45
2.3 CODIFICAÇÕES REFERENCIAIS, 46
2.3.1 A Sociedade em Vias de Midiatização, 47
2.3.2 Lógicas da Circulação, 50

3. PESQUISA EMPÍRICA, 53
3.1 FRAGMENTOS E RELEVOS, 53
3.1.1 Notícia Uol Esportes, 53
3.1.2 Notícia Site Meu Timão, 54
3.1.3 Notícia Uol Esportes, 55
3.1.4 Notícia Canal de Esportes ESPN, 56
3.1.5 Notícia Zero Hora Online, 56
3.1.6 Notícia Esportes Estadão, 57
3.1.7 Notícia Zero Hora Online, 58
3.2 O LUGAR DO PROTAGONISTA: O MC NO ACONTECIMENTO, 59
3.2.1 Ato 1: Aranha Destaca Envolvimento da Mídia, 61
3.2.2 Ato 2: A Chancela, 61
3.2.3 Ato 3 Aranha Exalta Cultura do Rap, 62
3.2.4 Ato 4: Aranha Recebe Prêmio de Direitos Humanos, 63
3.3 OFENSA, INJÚRIA, VITIMAS, 63
3.4 PARRESIA EM SEUS CONTRÁRIOS, 65
3.5 INSTITUIÇÕES E ATORES NAS APROPRIAÇÕES DO DILEMA, 67
3.5.1 Acionamentos de vários Circuitos em Expansão, 67
3.5.1.1 Observatório da Imprensa, 67
3.5.1.2 Opinião do Jornalismo B, 68
3.5.1.3 Seleção Brasileira de Futebol, 69
3.5.1.4 Escritor Peninha, 69
3.5.1.5 Generalização do ser Gaúcho, 70
3.5.1.6 Atores criam Memes nas Redes Sociais, 71
3.5.1.7 Criação de Comunidades de apoio no Facebook, 72
3.6 INSTITUIÇÕES, ATORES E PROCESSOS CONVOCADOS, 73
3.6.1 Campo Econômico, 73
3.6.2 Campo Acadêmico, 74
3.6.3 Campo Jurídico, 75
3.7 POSICIONAMENTO DO GRÊMIO NO PERÍODO DA CRISE, 76

4 ANÁLISE DAS INTERAÇÕES NA PERSPECTIVA DA INCERTEZA, 80
4.1 CRONOLOGIA DO CASO NA PERSPECTIVA DO USO DOS MEIOS, 81
4.1.1 A focalização – Atores Individuais, 85
4.1.2 A Propagação – Instituições Midiáticas, 86
4.1.2.1 Filmagem do Canal de esportes ESPN, 87
4.1.2.2 Registro da ação dos torcedores em conjunto, 87
4.1.3 Instalação do Dilema – Atores Individuais e Instituições Midiáticas, 88
4.1.3.1 Entrevista de Aranha, 89
4.1.3.2 A expiação, 90
4.1.3.3 Eu te Acuso, 90
4.1.3.4 Procura-se, 91
4.1.4 A Acusação – Atores Individuais e Instituições Midiáticas, 92
4.1.4.1 Aranha como Representante da Situação, 93
4.1.4.2 A Memória do Tema, 94
4.1.5 A Propagação Territorial – Atores Individuais e Instituições Midiatizadas, 95
4.1.5.1 Perda do Trabalho, 95
4.1.5.2 Perda da Moradia, 96
4.1.6 A Agonística no Tribunal de Atores – Atores Individuais e Instituições Midiáticas, 98
4.1.6.1 O Opositor Pelé, 98
4.1.6.2 O Apoiador Helio de la Peña, 99
4.1.7 O Tribunal Esportivo – Instituições Midiatizadas, 100
4.1.7.1 Eliminação do Grêmio da Copa do Brasil, 101
4.1.7.2 Auditor com Histórico de Racismo, 101
4.1.8 O Dilema Ético – Instituições Midiáticas e Instituições Midiatizadas, 102
4.1.8.1 Entrevista Exclusiva no Encontro, 103
4.1.8.2 Aranha é Apoiado, 103
4.1.9 A Propagação do Julgamento Moral – Atores Individuais e Instituições Midiáticas, 104
4.1.9.1 Aranha Nega Desculpas, 105
4.1.9.2 A Sociedade Propaga o Dilema, 105
4.1.10 O Julgamento Legal – Instituições Midiáticas e Midiatizadas, 106
4.1.10.1 Julgamento dos Torcedores, 107
4.1.10.2 Opinião da OAB, 107
4.2 INTERAÇÕES DO PROCESSO DE CIRCULAÇÃO, 109
4.3 REATIVIDADES, ADAPTAÇÕES E DISRUPÇÕES DA INSTITUIÇÃO, 110
4.3.1 Negou, 111
4.3.2 Denegou, 111
4.3.3 Adaptou-se, 112
4.3.4 Fez uma Vigilância Vigiada, 114

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS, 116

REFERÊNCIAS, 119

Referência

KAEFER, Cíntia Miguel. Ser ou não ser racista no caso Aranha: Investigação sobre a propagação, incerteza e circulação midiática. 2016. 125 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Unidade Acadêmica de Pesquisa e Pós-graduação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2016.