Transformação urbana vista “de baixo”: clubes de futebol de várzea e estratégia de articulação para conquista de seus campos de jogo (1960-1979)

Autores

Raphael Rajão Ribeiro

Periódico / Revista

História Unicap

Cidade

Recife

Volume

v. 4

Número

n. 8

Páginas

p. 203-220

Ano

2017

ISSN

2359-2370

Resumo (pt)

O presente artigo tem por objetivo examinar as articulações estabelecidas entre as estratégias utilizadas pelos clubes de futebol de várzea para manter a posse de seus campos de jogo e o contexto de transformação urbana vivenciado por Belo Horizonte durante as décadas de 1960 e 1970. Ao investigar as mudanças pelas quais a cidade passava a partir da perspectiva dos grupos ligados a essa prática de lazer popular, o texto espera apontar possibilidades de aproximação entre a História Urbana e a História Social, demonstrando maneiras de pensar as modificações do tecido urbano por meio da atuação dos “de baixo”. Compartilha-se a compreensão de que essas coletividades dialogam com processos diversos que implicam a reconfiguração do espaço, tais como normativas legais, políticas públicas e atuação de setores imobiliários. Ao desenvolverem relações muitas vezes de clientela com forças políticas ou econômicas, podiam intervir nas decisões sobre os usos dos terrenos, de forma que sua permanência em certas áreas da capital mineira não pode ser explicada como mero resultado do acaso ou do desejo governamental. Em suas disputas cotidianas, tais agremiações se depararam com questões concernentes ao associativismo comunitário, aos constrangimentos de um estado burocrático-autoritário e às dificuldades impostas por uma metropolização acelerada e sem planejamento. Para a produção do texto foram utilizadas fontes orais, registro de imprensa e documentação oficial do município e da federação de futebol local.

Palavras-chave História Urbana; História Social; Futebol Amador; Associativismo; Belo Horizonte

Abstract

The present article aims to examine the articulations between the strategies used by the “futebol de várzea” clubs to maintain the possession of their playing fields and the context of urban transformations experienced by Belo Horizonte during the 1960’s and the 1970’s. Investigating the changes for which the city passed by through the perspective of the groups connected with the practice of popular leisure, the text hopes to indicate possibilities of approximation between Urban History and Social History, demonstrating ways to think the modifications of urban fabric by means of the actions of those from below. We share the comprehension that this communities dialog with multiples process which implicated in the spaces’ reconfigurations, such as legal regulations, public policies and the action of real estate sectors. Developing relations quite often paternalistics with the political or economical forces, they could intervene in the decisions about the terrains’ uses, in a way that their stay in certain areas of the city couldn’t be explained only by coincidence or governmental desire. In their day by day’s disputes, these organizations faced questions concerning the communal associativism, the constraints of a bureaucratic and authoritarian state and the difficulties imposed by an accelerated and unplanned metropolisation. For the production of this text had been used oral narratives, press records and official documentation from the municipality and the local football federation.

Keywords Urban History; Social History; Amateur Football; Associativism; Belo Horizonte

Referência

RIBEIRO, Raphael Rajão. Transformação urbana vista “de baixo”: clubes de futebol de várzea e estratégia de articulação para conquista de seus campos de jogo (1960-1979). História Unicap. Recife, v. 4, n. 8, p. 203-220, 2017.