Um discurso de brasilidade

Autores

Mozart Maragno

Subtítulo

a seleção brasileira de 1994 no jornal Folha de São Paulo

Orientador

Jaison José Bassani

Co-rientador

Alexandre Fernandez Vaz

Banca

Felipe Quintão de Almeida, Fernando Gonçalves Bitencourt

Faculdade / Instituição

Centro de Ciência da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Educação

Ano

2013

Páginas

150

Cidade

Florianópolis

Resumo (pt)

Este trabalho resgatou o imaginário da Seleção Brasileira de 1994 no jornal Folha de São Paulo (FSP), no período entre 01/01/1994 e 31/12/1994. Para chegarmos ao problema de pesquisa, a experiência em acompanhar os debates na imprensa esportiva também foi importante. A equipe treinada por Carlos Alberto Parreira foi objeto de análise antes, durante e depois do Mundial dos Estados Unidos. O que verificamos nos artigos da FSP indica que a Seleção de 94 não teria honrado as gloriosas tradições do futebol brasileiro, embora tenha vencido a competição. Configurou-se uma espécie de “mal-estar” diante do desempenho da equipe, de acordo com essas fontes jornalísticas, em reportagens e textos de opinião. As gloriosas tradições estariam mais ligadas ao estilo, ao “jogo bonito”, ao “futebol-arte”, aquilo que nos tornaria singular perante o mundo esportivo. Os antagonistas de 94 seriam justamente o técnico Parreira e seu coordenador Zagallo, ou seja, as amarras ao “estilo brasileiro” estariam identificadas. O atacante Romário, por outro lado, seria mais um ponto de tensão, pois simbolizaria, de forma quase solitária, o pouco de “brasilidade” que restaria na equipe. Vale salientar que boa parte do discurso acadêmico parece caminhar também nessa direção e, ainda que pouco tenha se detido acerca desta passagem do futebol brasileiro, corrobora a necessidade de afirmação de identidade nacional por meio do futebol, para a qual o “estilo brasileiro” seria fundamental. O viés laudatório, de exaltação aos valores nacionais do futebol – que muitas vezes pouco foge do que a mídia esportiva costumou propagar historicamente –, demonstrou a necessidade de mais pesquisas sobre o tema, sem o compromisso de louvar a “brasilidade”.

Abstract

This paper analysed the imaginary of the Brazilian national team of 1994 on Folha de S. Paulo newspaper (FSP), in the period between 01/01/1994 and 12/31/1994. On our path to reach the research problem, the experience of following the sports press debates was important. The team coached by Carlos Alberto Parreira had a turbulent trajectory before, during and after the World Cup in the United States. What we verified on FSP articles indicates that the Brazilian team of 1994 would not have honored the glorious traditions of Brazilian football, although having won the competition. Such glorious traditions would be likely linked with the playing style, the so-called “jogo bonito”, and “football art”. The antagonists would be precisely Parreira and his technical coordinator Zagallo, the last one with a controversial past. Striker Romário, to beyond the press, would be a further point of tension, because he would symbolize the few “brasilidade” – essential nature or character of a Brazilian – remaining in the team. Much of the academic thought, even not considering such characteristics of Brazilian football, corroborates the necessity of the assertion of national identity, where the “Brazilian style” would be fundamental. The laudatory obliquity that many times is not distinguished of what the sports press historically used to diffuse, demonstrated the need of more field researches without the obligation of praising the “brasilidade”.

Sumário

INTRODUÇÃO, 12

CAPÍTULO I – CULTURA, IDENTIDADE E FUTEBOL: O DEBATE NAS CIÊNCIAS HUMANAS, 32

CAPÍTULO II – PARREIRA E A SELEÇÃO DE 94: TENSIONAMENTO DA BRASILIDADE, 85

CAPÍTULO III – ROMÁRIO: A CENTELHA DE “FUTEBOL-ARTE”, 131

CONSIDERAÇÕES FINAIS, 141

REFERÊNCIAS, 144

Referência

MARAGNO, Mozart. Um discurso de brasilidade: a seleção brasileira de 1994 no jornal Folha de São Paulo. 2013. 150 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Centro de Ciência da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.