Espanha vence a Nigéria por 3 x 0 e disputa a semifinal contra a Itália

portalcopa

Deu a lógica: A Espanha venceu a Nigéria por 3 x0 na tarde deste domingo (23.06) na Arena Castelão, em Fortaleza, e se classificou em primeiro no Grupo B da Copa das Confederações, com três vitórias. Os gols foram marcados por Jordi Alba, aos três minutos do primeiro tempo e aos 43 do segundo em belas jogadas individuais, e por Fernando Torres, de cabeça, aos 17 da etapa final.

Com o resultado, a Nigéria encerrou a participação na Copa das Confederações, mas o jogo não foi fácil como muita gente esperava. Os nigerianos foram corajosos e enfrentaram bem a campeã do mundo, só que a jovem equipe pecou por ansiedade e dificuldade de finalização.

“Tivemos problemas com a umidade, com o calor, mas somos uma equipe muito técnica, o que nos ajuda a superar isso e nos permite economizar energia. Sabíamos que seria um jogo muito dinâmico, eles jogam de forma alegre e iriam buscar a vitória todo custo”, observou o técnico espanhol, Vicente del Bosque. Acompanharam a partida 51.263 pessoas.

A Espanha, classificada em primeiro lugar do Grupo B, fará a reedição da final da Eurocopa de 2012 contra a Itália na semifinal a ser disputada na mesma Arena Castelão em 27 de junho.

Jordi Alba, autor de dois gols e eleito o melhor em campo, também disse que o calor foi um desafio, mas ponderou que o problema existiu para as duas equipes e que não pode ser uma desculpa. “De qualquer forma, fizemos três, e é a primeira vez que marco dois gols. Classificamos e agora vamos enfrentar a Itália, em uma partida diferente da final da Eurocopa. Eles querem a revanche, mas nós vamos tentar chegar à final”, disse.

Um dia antes, em 26 de junho, o Brasil, líder do grupo A, medirá forças com o Uruguai – segundo lugar do grupo B – no Mineirão, em Belo Horizonte.

Com alguns segundos de jogo, Iniesta fez bela jogada individual pela esquerda, avançou para a área, driblou a zaga e chutou, mas Enyema defendeu. Logo depois, aos três minutos, saiu o primeiro gol. Após a usual troca de passes no meio-campo, o lateral esquerdo Jordi Alba recebeu a bola de Iniesta, partiu em velocidade, driblou vários jogadores, invadiu a área e fez belo gol.

Aos 10 minutos, a Nigéria teve a primeira boa chance no jogo. Obi Mikel tabelou com Akpala, recebeu livre na área e tentou o gol, mas Sergio Ramos desviou o chute do camisa 10 nigeriano.

Diferente de outras partidas, a Espanha deixou o adversário jogar mais, e a posse de bola da Fúria chegou a ficar perto de 50%, número bem inferior à média da equipe.

Aos 20 minutos, Mba recebeu passe de Ideye e chutou forte, mas Valdés defendeu. Outra oportunidade veio na sequência em cobrança de falta. Mikel lançou a bola na área e o goleiro espanhol afastou a bola. A torcida cearense aplaudiu.

A Espanha voltou a levar perigo aos 25, quando Sergio Ramos lançou a bola para Soldado que estava livre, mas o atacante chutou em cima do goleiro Enyeama.
Mais uma chance para Nigéria aos 28. Ambrose cruzou para a área, Akpala cabeceou e obrigou novamente Valdés a trabalhar.

A resposta da Espanha veio com Soldado. Mais uma vez, ele recebeu belo passe e, pela esquerda, partiu em velocidade e chutou a gol, para outra defesa de Enyema.

No final do primeiro tempo, aos 38, Soldado cruzou para área e Fábregas chutou na trave e, na sequência, o goleiro nigeriano segurou a bola.

A Nigéria perdeu a chance empatar aos 40 minutos, após bom cruzamento de Akpala para a pequena área: Ideye chutou fraco, sem oferecer perigo de Valdés.

No último lance do jogo, Xavi cobrou falta na área e Sérgio Ramos cabeceou bem, mas Enyema faz mais uma defesa e impediu que a Espanha ampliasse o placar

Segundo tempo

O ritmo acelerado do primeiro tempo deu espaço a um começo lento na etapa final. E quem teve a primeira boa chance foi a Nigéria, aos 5 minutos. Musa partiu em velocidade pela direita, fez belo cruzamento, mas Ideye, na pequena área, não conseguiu dominar.

Logo depois, em cobrança de falta, Xavi chutou direto para o gol e a bola passou por cima, chegando a bater na rede.

Erros de passe pouco comuns também começaram a se repetir. O técnico Del Bosque mudou a equipe, tirou Fábregas e colocou David Silva. E acertou ao colocar Fernando Torres no lugar de Soldado: em um dos primeiros lances em campo, o atacante aumentou o placar aos 17 minutos, com gol de cabeça após cruzamento de Pedro na medida.

Depois do segundo gol, a Nigéria sentiu. A Espanha teve várias chances em sequência. David Silva recebeu, aos 20 minutos, aquele tipo de lançamento açucarado de Iniesta, mas pegou mal na bola e não aproveitou.

Logo depois, Fernando Torres recebeu a bola, matou no peito e isolou. O árbitro entendeu que houve desvio da zaga e deu escanteio.

Aos 29 minutos, a melhor chance da Nigéria na etapa final foi desperdiçada mais uma vez pela dificuldade de finalização. Na velocidade do contra-ataque, Muhammad – que havia acabado de entrar – recebeu livre e perdeu o gol frente a frente com o goleiro espanhol.

A Espanha chegou próximo da área mais algumas vezes sem muito perigo. Do outro lado, Mikel tentou de fora da área aos 37 e não deu trabalho para Valdés. Em mais uma tentativa, logo depois, Musa chutou longe do gol.

Já no fim do jogo, David Villa – que substituiu Pedro – tinha Fernando Torres livre pela esquerda, mas preferiu dominar e tentar o chute, que não ofereceu perigo.

Jordi Alba, aos 43, deixou mais um gol na história da parida. Ele recebeu belo lançamento de Sérgio Ramos em seu próprio campo, avançou, driblou o goleiro e garantiu a vitória da Espanha e o título de melhor em campo.

A posse de bola, ao final do jogo, ficou assim: 58% da Espanha e 42% para a Nigéria, mostrando bem o que foi a partida.

David Villa teve mais uma chance no último minuto, mas o chute parou nas mãos de Enyema. Mesmo derrotada, a Nigéria foi aplaudida pelo público, que também deixou um recado: “Espanha pode esperar, a sua hora vai chegar”. O canto dos torcedores faz alusão a uma possível final da Fúria contra o Brasil na Copa das Confederações.

 

Nigéria 0 x 3 Espanha

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Data: 23 de junho de 2013, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Joel Aguilar (El Salvador)
Assistentes: William Torres e Juan Zumba (ambos de El Salvador)
GOLS: Jordi Alba, aos 3 minutos do 1º tempo e aos 43 minutos do 2º tempo. Fernando Torres, aos 16 minutos do 2º tempo.

NIGÉRIA: Enyeama; Ambrose, Oboabona, Omeruo (Egwuekwe) e Echiejile; Mba (Ogu), Ogude e Mikel; Ideye, Akpala (Gambo) e Musa
Técnico: Stephen Keshi

ESPANHA: Valdes; Arbeloa, Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Busquets, Iniesta, Xavi e Fábregas (David Silva); Pedro (David Villa) e Soldado (Fernando Torres)
Técnico: Vicente del Bosque

 

Fonte: