Os Diabos Vermelhos acabaram com o “sonho americano”

Equipe Ludopédio

Mais uma grande partida na Arena Fonte Nova, em Salvador. O campo onde saiu o maior número de gols na primeira fase recebeu as seleções da Bélgica e Estados Unidos para uma partida de oitavas de final. Os belgas entraram em campo como líderes do grupo H, e os norte-americanos como segundo colocados no grupo G.

A partida no tempo normal acabou em 0 a 0. Mas poderia tranquilamente ter acabado em 3 a 3 ou mais, devido ao grande número de chances apresentadas por ambas as equipes. Na prorrogação os Belgas demonstraram porque eram favoritos e fizeram 2 a 1, em 30 minutos emocionantes.

O primeiro tempo acabou em 0 a 0. Mas foi extremamente movimentado. Ambas as equipes se preocuparam em atacar e deram espaços para o adversário. Os belgas chegaram com maior perigo, mas os americanos tiveram maior posse de bola. Os experientes goleiros Courtois, para a Bélgica, e Howard, para os Estados Unidos, fizeram boas defesas e já mostravam o quão seriam importantes no resto da partida.

No segundo tempo brilhou a estrela do goleiro norte-americano Howard. Ele garantiu o empate. Os belgas foram para cima e queriam de qualquer forma evitar o tempo extra. Mas Howard fez diversas defesas em chutes de Origi, Mertens, Hazard, Mirallas, De Bruyne, Vertonghen e até do zagueiro Kompany. Os Estados Unidos se retraíram e conseguiram levar o jogo à prorrogação.

Então, no início da prorogação veio a substituição que definiu a partida. O técnico belga Marc Wilmots tirou Origi e colocou Lukaku – que perdera a titularidade. E Lukaku arrebentou. Logo aos 2 minutos do primeiro tempo ele ganhou em velocidade da defesa norte-americana, invadiu a área pela direita e tocou para o meio. O jovem De Bruyne dominou, girou em cima da marcação e bateu cruzado para vencer o incansável Howard. A Bélgica ampliou o placar aos 15 minutos do primeiro tempo. Agora com Lukaku. De Bruyne puxou o contra-ataque e tocou na área para Lukaku encher o pé e acertar as redes, entre a trave e Howard.

Tudo parecia decidido, mas os norte-americanos demonstraram que não iriam desistir tão facilmente. Greene entrou na partida e, aos 2 minutos, acertou um voleio, após belo passe de Bradley, para diminuir o marcador. E os norte-americanos pressionaram até o final, mas pararam na defesa belga ou nas mãos do goleiro Courtois, que fez linda defesa em chute de Dempsey aos 9 minutos do segundo tempo.

Os belgas finalmente demonstraram nesta Copa o futebol que os qualificou como cabeças-de-chave e favoritos. Os norte-americanos ficaram pelo caminho, mas demonstraram um futebol muito organizado e temido.

 

 

Bélgica 2 x 1 Estados Unidos – após prorrogação

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador-BA

Data: 1º de julho de 2014, terça-feira

Horário: 17h (horário de Brasília)

Público: 51.227 torcedores

Árbitro: Djamel Haimoudi (ARG)

Assistentes: Redouane Achik (MAR) e Abdelhak Etchiali (ARG)

Cartões amarelos: Kompany (BEL); Cameron (EUA)

GOL

BÉLGICA: De Bruyne, aos 2, e Lukaku, aos 15 minutos do primeiro tempo da prorrogação

ESTADOS UNIDOS: Green, aos 2 minutos do segundo tempo da prorrogação

BÉLGICA: Courtois; Alderweireld, Kompany, van Buyten e Vertonghen; Witsel, Fellaini e De Bruyne; Hazard (Chadli), Mertens (Mirallas) e Origi (Lukaku) Técnico: Marc Wilmots

ESTADOS UNIDOS: Howard; Cameron, Gonzalez, Besler e Beasley; Jones, Zusi (Wondolowski) e Bradley; Johnson (Yedlin), Bedoya (Green) e Dempsey Técnico: Jurgen Klinsmann

 

 

Galeria de imagens