Uruguai bate a Nigéria em Salvador

portalcopa

O Uruguai conseguiu uma importante vitória sobre a Nigéria na noite desta quinta-feira (20.06), na Arena Fonte Nova, em Salvador. A partida foi válida pela segunda rodada do Grupo B da Copa das Confederações. Sob os olhos de 26.769 torcedores, os gols uruguaios foram marcados por dois Diegos: Lugano e Forlán – o segundo, aliás, comemorou sua centésima participação na Celeste e voltou a ser o maior artilheiro de seu país na história da seleção. Obi Mikel diminuiu para os nigerianos.

Mesmo com a derrota, a Nigéria se mantém em segundo lugar no Grupo B, pois tem saldo de gols melhor que os uruguaios. As duas equipes têm três pontos, mas os nigerianos aplicaram uma goleada de 6 x 1 sobre o Taiti e possuem quatro gols de saldo contra zero dos uruguaios. A Espanha lidera o grupo, com seis pontos e saldo de 11 gols. O Taiti, que sofreu duas goleadas, já está eliminado.

A próxima partida do Uruguai será contra o Taiti, no domingo (23.06), na Arena Pernambuco, em Recife. No Castelão, em Fortaleza, a Nigéria terá pela frente a Espanha, atual campeão mundial e europeia e líder do grupo. Os jogos serão simultâneos, às 16h.

Primeiro tempo

O Uruguai começou com ímpeto de ir ao ataque rapidamente. Com um minuto de jogo, Diego Forlán cobrou falta para a área e, no rebote da zaga, Rodríguez chutou muito forte e a bola passou um pouco acima da meta defendida por Vincent Enyeama.

O primeiro chute a gol da Nigéria só ocorreu aos 10 minutos, depois de um começo um pouco confuso no meio de campo. Ahmed Musa recebeu livre perto da área e chutou forte, mas saiu pelo lado esquerdo.

Logo em seguida, aos 12, Ideye recebeu um toque e lado após cobrança de falta frontal e arrematou com muita força. O goleiro Muslera não conseguiu segurar na primeira tentativa e quase a falha quase falha do uruguaio resultou em gol nigeriano.

Após boa tabela pelo lado esquerdo do ataque, Musa cruza no rumo da pequena área. Muslera ameaçou interceptar, mas ficou no meio do caminho. Se o zagueiro Martín Cáceres não tivesse interceptado, o ataque da Nigéria conseguiria abrir o placar.

O primeiro gol da partida saiu aos 18 anos. Após cobrança de escanteio de Forlán, os nigerianos conseguiram afastar parcialmente e a bola voltou novamente para o meia-atacante uruguaio, que centrou forte. Cavani tentou completar de letra e furou, tirando um zagueiro do lance. Lugano, bem posicionado dentro da pequena área, só empurrou a bola para a rede.

O Uruguai quase ampliou aos 26. Suárez conseguiu boa jogada pela esquerda, tocou para Forlán dentro da área. Na hora de finalizar, Omeruo conseguiu chegar a tempo de evitar.

Desde o início do jogo, os torcedores baianos apoiam em massa a Nigéria. E o momento de maior comemoração do primeiro tempo surgiu aos 36 minutos. Ideye deixou Obi Mikel frente a frente com Lugano. Com um balanço de corpo, o camisa 10 da Nigéria tirou o zagueiro Lugano da jogada e finalizou no ângulo de Muslera. Muita vibração nas arquibancadas da Fonte Nova.

O gol acendeu os Nigerianos. A zaga uruguaia saiu jogando errado e Musa arrancou rumo ao campo de ataque até a entrada da área. Na hora de finalizar, acabou errando o movimento e a bola saiu longe do gol de Muslera.

Aos 42, a chance foi do Uruguai. Forlán encontrou González live na intermediária. O uruguaio não se fez de rogado: chutou de longe mesmo e levou perigo ao gol de Enyeama.

Pouco antes do término do primeiro tempo, o técnico nigeriano Stephen Keshi foi obrigado a fazer a primeira substituição. O atacante Nnmandi Oduamadi teve deixou o gramado mancando. Michael Babatunde, de apenas 20 anos, entrou em seu lugar.

O último lance de perigo no primeiro tempo foi após um escanteio cobrado pelo lado esquerdo do ataque da Nigéria. Quatro jogadores subiram ao mesmo tempo e se chocaram no ar. A bola quase encobriu Muslera, que teve que se esticar para desviar para novo escanteio.

Segundo tempo

Mais uma vez o Uruguai foi para cima logo no início. Aos 5 minutos, uma rápida triangulação do ataque deixou os sul-americanos novamente na frente do placar. Suárez arrancou pela direita, encontrou Cavani pelo meio e, com apenas um toque, a bola chegou aos dentro da área, para a finalização de primeira de Diego Forlán. Enyeam nada conseguiu fazer.

Com o gol, Forlán, que completa a sua 100a partida com a camisa da Celeste, voltou a ser o maior artilheiro da história da seleção uruguaia, com 34 gols – um a mais que seu atual companheiro no ataque, Luis Suárez.

Com o silêncio da maior parte da torcida no momento do gol, foi a primeira oportunidade de se ouvir o grito dos apoiadores do Uruguai. Poucos segundos depois, o apoio à Nigéria voltou, com o nome do país sendo gritado em coro.

Aos 16, um lance de habilidade do ataque nigeriano. Musa resvalou de cabeça e a bola chegou ao peito e Ideye, que emendou uma bela bicicleta na meia-lua da área uruguaia. Muslera só acompanhou a saída pela linha de fundo.

Aos 24 e aos 25 dois lances de perigo, um para cada lado. Forlán fez ótimo lançamento para Cavani, que estava em posição legal. O atacante correu sozinho, entrou na área e isolou a bola. Em seguida, o laderal-direito Efe Ambrose cruzou para o centro da área e, na dividida com Ideye, o uruguaio Maxi Pereira quase fez contra.

Aos 30, mais um lance de Forlán e Cavani. O meia-atacante do Internacional cobrou falta na cabeça de Cavani, que desperdiçou outra boa oportunidade.

A partir daí, a Nigéria partiu com tudo para o ataque. Os uruguaios recuaram e começaram a fazer mais faltas. Lugano recebeu o cartão amarelo aos 33 minutos por falta sem bola e desfalcará o time na partida contra o Taiti.

O técnico Óscar Tabárez fez sua primeira substituição aos 36 minutos. Tirou Luis Suárez, que saiu vaiado, para a entrada de Coates. Aos 42, mais uma substituição: Álvaro Pereira entra no lugar de Cristian Rodríguez.

Nos minutos finais, a pressão da Nigéria não surtiu efeito e os jogadores da Celeste conseguiram segurar a vitória até os 50 minutos de jogo.

 

Fonte: